Carrinho ecologicamente correto.

Revista britânica aposta que futuro modelo de entrada da marca italiana será baseado em conceito ecológico






(04-06-08) - A revista britânica Auto Express revelou recentemente que a Fiat comprou a antiga fabricante do Yugo, a Zastava, na Sérvia, com o objetivo de montar naquele país o novo Topolino, baseado no 500. Divulgou até um desenho de como seria o urbanino. Além do apelo nostálgico do carrinho, de menos de 3 m de comprimento, há também as normas européias de emissões, cada vez mais severas. Pois agora a mesma revista apontou o conceito Phylla como o possível precursor da versão elétrica do Topolino, com chegada ao mercado prevista para 2010.

O Phylla, desenvolvido pela Fiat em parceria com diversas outras empresas, como o IED (Istituto Europeo di Design), da Itália, tem exatos 2,995 m de comprimento, quatro lugares (2+2, na verdade, com os lugares atrás menores que os da frente) e tração nas quatro rodas. Com potência máxima de 73 cv (54 kW), o Phylla chega a uma velocidade máxima de 130 km/h. Isso porque seu peso é de apenas 750 kg e a relação peso/potência é de 10,2 kg/cv. A recarga total leva no máximo quatro horas, mas meia hora de carga pode garantir uma autonomia de até 80% da máxima.


Como se poderia esperar de um carro que se pretende limpo, o Phylla é inteiramente reciclável e conta com células fotoelétricas espalhadas pela carroceria, outra fonte de obtenção de energia. Todos os comandos, fora o volante, são elétricos, incluindo freios. Até a direção poderia ser apenas por comandos elétricos, sem ligação física entre o volante e as rodas, mas as empresas ainda agem com bastante cautela nesse terreno, pelo menos até que a tecnologia se mostre à prova de falhas. Os pneus também acompanham a proposta ecológica, mas são polêmicos: eles proporcionam consumo mais baixo por apresentarem baixa resistência à rodagem. Se é bom para o consumo, isso atrapalha a aderência, com reflexos no comportamento dinâmico e nas frenagens.


Além da velocidade alta para um modelo urbano, o baixo peso do Phylla amplia sua autonomia. Com baterias de íons de lítio, ele percorre até 145 km; com baterias de polímeros de lítio, a autonomia bate em 220 km, distância suficiente até para pequenas viagens. É isso que, se os rumores se confirmarem, pode ser herdado pelo Topolino, se é que esses números, até o lançamento, não podem se tornar ainda melhores.

Segundo a Auto Express, o objetivo da Fiat é se tornar a fabricante de automóveis mais limpa do mundo, com modelos de emissões diretas baixas ou nulas, como seria qualquer carro movido a eletricidade. Se o Phylla realmente inspirar o Topolino, pode-se dizer que a montadora italiana começará o caminho da melhor maneira possível.

visite também:

http://perolasdophotoshop.blogspot.com
http://aelementar.blogspot.com

on 06:30

1 comentários:

El Cabron disse...

Bem bacana, nos tempos de hoje é cada vez mais importante nos preocuparmos com o futuro não só o nosso mas também desse planeta maravilhoso em que vivemos.

Abraços